Login com a conta do Facebook >
BBC
Top Gear
Procure em topgear.com.pt

Carros // Testes

Teste: Alfa Romeo Giulia Veloce

7/10
€ 55.250
11 Ago 2017
teste-alfa-romeo-giulia-veloce

Se pertence ao grupo de pessoas que olha para a Alfa Romeo como uma das marcas mais queridas do mundo automóvel, o nome Veloce não lhe será completamente estranho, uma vez que já batizava algumas das versões mais especiais da marca no início dos anos 60. Para honrar essa designação, a marca italiana optou por expandir a gama Giulia com versões de caráter um pouco mais desportivo, oferecendo algo que não é assim tão comum no mercado: uma opção mais desportiva e destinada a quem olha para o lugar do condutor como o mais importante a bordo de um automóvel, sem serem necessários valores de potência astronómicos (para isso, continua presente o Quadrifoglio de 510 cavalos), mas com um visual um pouco mais cativante e uma dinâmica mais apurada que as versões de acesso à gama.

É por isso que as primeiras diferenças do Giulia Veloce começam nos novos para-choques, com uma dimensão mais generosa. Na frente, as entradas de ar têm uma dimensão um pouco maior, enquanto na traseira, é o extrator de ar mais evidenciado e com uma saída de escape generosa de cada lado que contribui para as diferenças no visual. Ainda assim, para que não haja dúvidas, a Alfa Romeo não deixou de incluir a designação Veloce nos para-lamas dianteiros. De resto, as jantes de 19 polegadas num tom escurecido são uma espécie de cereja no topo do bolo, mas ainda falta falar sobre as duas principais novidades da gama, que se estreiam com esta versão Veloce.

  • 1 | 6
  • 2 | 6
  • 3 | 6
  • 4 | 6
  • 5 | 6
  • 6 | 6

A primeira tem a ver com o motor. Trata-se do novo bloco de dois litros de cilindrada, que recorre à sobrealimentação para conseguir uma potência máxima de 280 cavalos. O binário máximo chega aos 400Nm, disponíveis ligeiramente acima das 2.000 rpm, o que faz com que a resposta do motor seja muito positiva logo a partir dos regimes mais baixos.

Graças à caixa de velocidades automática de oito relações desenvolvida pela ZF, o Giulia Veloce oferece acelerações de motor cheio e com uma sonoridade muito interessante a acompanhar. Dos 0 aos 100 km/h, por exemplo, são necessários apenas 5,2 segundos e a velocidade máxima anunciada ronda os 240 km/h. Com o modo mais desportivo selecionado, o Giulia consegue abandonar o ritmo de processamento normal de todos os componentes e deixa a caixa de velocidades e a resposta ao acelerador muito mais alertas a qualquer indicação dada pelo condutor.

A presença do sistema de tração integral é a outra novidade das apresentadas com a versão Veloce. Faz com que a tampa da bagageira receba a designação Q4, tão conhecida na marca do Scudetto e ainda consegue melhorar a precisão do Giulia nas estradas de traçado mais irregular. E se o chassis da versão de tração traseira já era bastante eficaz, a passagem de potência para todas as rodas faz com que o Giulia fique ainda mais colado à estrada. A distribuição de potência continua a dar primazia ao eixo posterior, mas sempre que seja necessário, é empurrada uma percentagem dos 280 cavalos para as rodas dianteiras. E depois, a precisão é mesmo aquela palavra de que não nos conseguimos afastar. O Giulia Veloce foi feito para ser conduzido, de preferência sem mais ninguém a bordo e com o sistema de som da Harman/Kardon desligado, de forma a apreciar ainda melhor cada momento da excelente posição de condução e de toda a envolvência oferecida por um Alfa Romeo e de que já tínhamos tantas saudades. Claro que os tempos são outros, e há um patamar místico que dificilmente será recuperado. Mas nunca nos sentimos tão próximos dos tempos áureos da marca italiana, como nos dias em que este Veloce nos fez companhia.

Esta versão Veloce que vê nas imagens está acompanhada da motorização de dois litros a gasolina com 280 cavalos, mas também há uma opção diesel para este nível de equipamento. O que vê nas imagens, no entanto, tem um preço inicial de 55.250 euros e já inclui um nível de equipamento bastante completo, onde nem falta a navegação ou um sistema de som melhorado, ainda que não seja o da Harman/Kardon. Esse acrescenta 1.300 euros ao preço final do Giulia. Mas claro que ainda pode acrescentar estas jantes de 19 polegadas (900 euros) e até as pinças de travão da Brembo pintadas em vermelho ou amarelo (250 euros).

 

Texto: André Mendes (ed. #73)

 

Ficha Técnica:

1.995 cc, 4 cil., tração integral, 280 cv, 400 Nm

6,4 l/100 km, 148 g/km CO2

0-100 km/h em 5,2 s , 240 km/h

1.530 kg

 

 

Últimos Testes
Teste: Alfa Romeo Giulia Veloce

A versão Veloce traz um toque de exclusividade ao Giulia, com um visual mais apurado e uma dinâmica melhorada.

Ler mais
Teste: BMW 520d ED

Económico, robusto e com tecnologia inovadora. O novo Série 5 tem no 520d um dos melhores representantes da gama.

Ler mais
Teste: Nissan Juke 1.2 DIG-T 115cv Black Edition

O Juke recebe uma versão Black Edition com decoração específica.

Ler mais
TopGear # 74
Bem-vindo ao Facebook da TopGear Portugal
Bem-vindo ao Facebook da TopGear Portugal
Junte-se aos quase 200 mil fãs da melhor revista de automóveis do mundo!
Clique aqui